Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

Em Exercício Profissional (veja mais 136 artigos nesta área)

por Jorge Romano Netto

Os desafios do arquiteto



Fazer arquitetura é ir além do projeto. Esse é o grande desafio do arquiteto. A arquitetura entendida como a arte de abrigar as atividades humanas, deve levar em consideração aspectos e elementos subjetivos que norteiam o movimento da sociedade, tanto no nível coletivo como no pessoal.

Para iniciar o projeto, o arquiteto se depara com desafios semelhantes ao do escritor diante da folha (ou tela) em branco. Todas as letras, formas, cores e texturas estão ali adormecidas. A pena é quem vai de forma sutil, despertar o volume e as formas.


Mas para orientar essas escolhas, o arquiteto tem como premissa, o terreno e a topografia, o briefing (programa de necessidades), as leis municipais e federais (Plano Diretor, Código de Obras, Normas, etc.) e a disponibilidade financeira de quem encomenda o projeto. Estes são apenas parâmetros para nortear o processo e indicar que o uso e a ocupação adequados para a área, na qual será implantada a obra. Até aqui o desafio pode ser resolvido por meio de técnicas e metodologias específicas.

Porém, para ir além do projeto, o arquiteto tem que levar em consideração a necessidade e o sonho. A proposta escolhida deve equilibrar esses dois polos e aproximar a obra do sonho, contemplando todas as necessidades.

Pensemos: o que é uma casa? Se acharmos que ela é apenas o edifício destinado a moradia, qualquer pessoa que domine a técnica, pode “desenhá-la”. Mas se aprofundarmos o conceito e entendermos que a casa é algo além de moradia, vamos descobrir que ela tem características subjetivas e específicas para cada pessoa ou família. Ela é o lugar para onde se vai depois de um dia de trabalho, quando o cansaço vem. Por isso tem que promover a alegria de voltar para o lar. É o espaço de repouso e descanso. Nos horários de ócio, a casa deve ser o ambiente de refrigério, encontro de amigos, familiar e lazer, enfim, ambiente propício para recarregar as baterias e encarar nova batalha no dia seguinte.

Ir além do desenho (do projeto), além de ser desafio é de grande responsabilidade. Pois a maneira de viver de cada família com as manias, hábitos, costumes, sonhos e, também, as economias estão postas diante do projetista de maneira invisível. Esses elementos são abstratos. O arquiteto se torna sonhador que sonha junto com o cliente e cria a ferramenta com a qual ele vai transformar o projeto em realidade. Deve existir relação de confiança e intimidade entre o arquiteto e o cliente para que tudo seja bem interpretado e, ao final, a casa seja a “cara” do dono.

Na prática não é bem assim. A arquitetura ainda é vista com desconfiança por grande parte da sociedade. Existem pessoas que acham que o projeto é artigo de luxo. Não sabem que projetar é pensar antes. É colocar na linha do tempo cada etapa e o quanto custará ao final. Isso possibilita ao cliente a programação físico financeira.

Além da falta de conhecimento por parte da sociedade, os profissionais sérios, sofrem concorrências desleais de sites e revistas que oferecem projetos prontos aos desavisados que os adquirem por preços aparentemente módicos e criam com isso a banalização do exercício profissional, o que contraria os princípios éticos e legais.

Existem também os que procuram desenhistas, técnicos de nível médio ou estudantes que não tem consciência do papel técnico e praticam o exercício ilegal da profissão. A grande maioria não é penalizada pelos conselhos, pois escondem-se abaixo da caneta dos “caneteiros”, que são profissionais que assinam os projetos, respaldando legalmente os infratores. É como se o cirurgião se responsabilizasse por cirurgias realizada pelo técnico de enfermagem.

Ao “comprar” o projeto pronto o cliente está desperdiçando a oportunidade de personalizar o futuro lar. De fazer algo dentro da realidade sócio financeira, compatível com o terreno, integração ao entorno, dentro da legislação municipal e com ambientes bem iluminados e ventilados naturalmente, situação que contribui para a economia de energia, proporciona satisfação, prazer, sociabilidade e saúde.

Por isso a arquitetura deve ir além do projeto. Ela não é só escolha de formas bonitas, cores da moda, texturas interessantes. Ela é a materialização do sonho que revela o tempo e o espaço dos que as produzem. Ela também tem a obrigação de ser confortável, agradável e BELA.

O arquiteto é o profissional que teve no mínimo cinco anos de estudo, aprendendo a projetar. Com estudos multidisciplinares que vão de matemática; cálculo; sociologia; economia; direito urbano; planejamento urbano e conforto ambiental; estudos que passeiam por vários temas que vão da residência, passam pelo edifício comercial, industrial, hoteleiro, hospitalares, etc. Na escala urbana se estuda a residência, a quadra, o bairro e a cidade.

A escola procura desenvolver a consciência crítica e criativa no futuro profissional. Àqueles que praticam indevidamente o ofício de projetar, não passou por tudo o que foi dito até aqui. É inconfundível e incomparável o projeto do legítimo arquiteto. Até os leigos sabem diferenciar o projeto feito por arquiteto dos feitos por outro “profissional”.

Os que procuram outros profissionais, o fazem equivocadamente. Economizam no valor do projeto, porém, gastam mais na construção. E na hora de vender o imóvel, aquela “economia”, não agrega valor. Por isso e muito mais que o trabalho do arquiteto deve e tem que ser valorizado. Foram muitas noites sem dormir, fazendo os trabalhos da faculdade, os livros comprados para adquirir mais conhecimento, as viagens e toda a dedicação à profissão devem ser postos na balança.

A formação do arquiteto e urbanista legítimo é complexa. Não é à toa que se trabalha com arquitetura. Se a casa é bonita, o bairro é bonito, a cidade é bonita, é porque existe o trabalho do arquiteto e urbanista. Por isso a sociedade deve ser informada da relevância do trabalho desse profissional para também valorizá-lo. Porque somente o arquiteto de verdade vai além do projeto.


Jorge Romano Netto, arquiteto e urbanista, conselheiro suplente do Conselho e Arquitetura e Urbanismo de Roraima



Fonte:www.caurr.gov.br


Visite nossas páginas no facebook -www.facebook.com/forumconstrucao e Twitter - www.twitter.com/forumconstrucaoCurta, Divulgue

Comentários

Mais artigos

Os desafios do arquiteto

6 Conselhos poderosos para arquitetos recém-formados

Abrir negociações é tão importante quanto fechar negócios

Exigência de titulação acadêmica para contratação de profissionais de mercado: Um enorme equívoco

O Facebook e a formação continuada dos profissionais

Principais Dificuldades de um Arquiteto sem Renome ou Iniciante

O buraco é mais em cima.

Arquiteto ou Engenheiro?

Tempo integral

Metáfora futebolística - A preparação física

21 dicas para uma vida bem sucedida na arquitetura

Dez coisas que aborrecem o cliente do engenheiro e do arquiteto depois da prestação do serviço

Dez coisas que aborrecem o cliente do engenheiro e do arquiteto durante a execução do serviço

Dez coisas que aborrecem o cliente do engenheiro e do arquiteto durante a negociação do serviço

Indicadores de desempenho nos escritórios de arquitetura e de engenharia

Como ser um engenheiro civil de sucesso.

Se o seu escritório fosse um time de futebol, em qual divisão ele estaria jogando?

Dia do Arquiteto. Dia do Engenheiro : Profissionais que transformam sonhos em realidade

O buraco é mais em cima.

E o que faz o profissional da arquitetura de TI?

Conheça o perfil do Engenheiro para o mercado de trabalho

Como estar preparado para o primeiro contato com o cliente?

A importância da Engenharia para a sociedade e para o Brasil do século XXI.

Qual a importância do arquiteto?

Como Se Tornar um Arquiteto

Crise. Segundo Einstein.

Engenheiro ou arquiteto, qual devo contratar para o projeto de casa

Possibilidades na carreira para arquitetos

Por que é tão difícil?

Os 10 mandamentos de marketing para engenheiros e arquitetos

Quem é o engenheiro civil?

Tempo integral

Dicas para desenvolvimento profissional

Cliente e arquiteto: os dois lados da moeda

A delicada relação cliente-arquiteto

Carta a um calouro (de arquitetura ou de engenharia)

A Profissão de Arquiteto

O que é Engenharia de Software?

Tabela de Honorários

Como e quanto os arquitetos cobram pelo seu trabalho?

Arquiteto, designer e decorador: sem preconceitos

Vantagens de estar desempregado (ou não) durante a seleção

Sucesso + Engenharia = Realizaçao profissional

6 ideias que podem mudar sua sina na entrevista de emprego

A responsabilidade profissional e o ser humano

O Mito da Criatividade em Arquitetura

Vantagens da Contratação de um Profissional Especializado

Diferença entre Arquiteto, engenheiro civil e designer de interiores

7 aspectos para começar e construir uma carreira em arquitetura ou design .

Quer ser um engenheiro de sucesso? Seja um engenheiro criativo.

O caminho de volta

O valor do profissional brasileiro

Contratação por projeto executivo define a obra

Inteligência Emocional: Conheça características do líder moderno

A importância do Planejamento no Papel

Atribuições do arquiteto

Lelé: cidades como São Paulo são Frankensteins.

Engenharia Nacional e a Competitividade Brasileira

A corrupção e a garantia quinquenal de obras

Como ser um empreendedor de sucesso

Sociedade entre Arquitetos: A construção em grupos de pesquisa e preço competitivo no mercado da construção

Trabalhar em casa: um bom negócio

Trabalho em equipe, 10 dicas para que isso aconteça.

Promiscuidade entre estado e governo: o vórtice do mal.

O “irresponsável técnico” da engenharia, arquitetura e construção

Arquitetos voltados a Decoração

2.012 – Importante ano para as Entidades de Classe do Sistema Confea/CREAs

Como produzir (provocar) a propaganda boca-a-boca

Os arquitetos e as cidades

Por que é que a gente é assim?

Profissionais da Engenharia, Arquitetura e Construção do 3º milênio

Qual é o valor da minha hora-técnica? Como calculo isso?

O arquiteto como administrador de obras: vamos unir o útil ao agradável!

A falta de planejamento das pequenas empresas na construção civil

As previsões de Nostradamus, e a vergonha da Copa de 2014?

Porque o arquiteto deve fazer a administração de obras

Arquitetos de Cozinha

Conselho de Arquitetura e Urbanismo foi aprovado. O que muda?

O exercicio profissional e a sustentabilidade das profissões: uma abordagem mercadológica - 3ª parte

O exercicio profissional e a sustentabilidade das profissões: uma abordagem mercadológica - 2ª parte

O exercicio profissional e a sustentabilidade das profissões: uma abordagem mercadológica - 1ª parte

Sociedade entre Arquitetos: A união, normalmente, faz a força!

Arquiteto ou arquiteta? Quem é melhor?

O Brasil é um país de oportunidades para engenheiros...

Obras públicas e a responsabilidade do sistema CONFEA/CREAS perante a nação! Final.

Obras públicas e a responsabilidade do sistema CONFEA/CREAS perante a nação! - 1ª parte.

O desabafo de um arquiteto

Relação arquiteto e cliente: um jogo de xadrez deveras complicado!

Lei federal exige específicamente a ART de orçamento

O principal documento para o trabalhador, não tem segunda via.

Orçamentos estimativos sem identificação de autoria pode anular licitação pública.

Licitação por pregão : Carta aberta ao Senador Eduardo Suplicy

Irrigar a economia real sem custos extras

Relacionamento Entidade de Classe x Prefeitura... Parceria, Guerra ou Indiferença...

Resistência dos Materiais - Treliça Hipostática

Proposta de Política Industrial para a Construção Civil

Crises e Oportunidades

O TAC no contexto do direito ambiental

Vai montar seu canteiro de obras? Atente para alguns detalhes da norma

Maquete eletrônica – parte 1

Segurança em trabalhos com eletricidade

Como ter segurança em trabalhos com eletricidade

Em busca do tempo perdido

Antoni Gaudí, um arquiteto sonhador?! (Barcelona, 1852-1926)

Arquitetura Antroposófica: as artes plásticas e o desenvolvimento da alma humana

Os CREAs e o IPTU que as Prefeituras querem cobrar...

Zaha Hadid – uma arquiteta orgânica. Gosta de construir descontruindo.

É preciso recompor a arquitetura e a engenharia brasileiras

Quem tem medo de Oscar Niemeyer?

A Liderança Empresarial e a Sustentabilidade

O verdadeiro papel das entidades de classe.

Relação aberta, gol na certa!

O uso da medida grado na Geometria e a Historia Militar Brasileira - Aspectos de unidades de medida

Maquetes Eletrônicas

Eu compro imóvel na planta

Engenharia de Avaliações

Táticas para pedir (e conseguir) aumento de salário

Obras e serviços de Engenharia não podem ser licitados por pregão !

Supersimples na construção civil: vale a pena aderir?

Proposta de projeto : a difícil negociação entre o arquiteto e o cliente,

A importância de contratar um Arquiteto e como proceder

Dúvidas mais comuns em relação ao registro de empresas no CREA-SP

Enigma estrutural: Teste estático versus teste dinâmico, ou Como Testar Uma Laje de Salão de Baile

O livro sagrado da Engenharia -- Surpresa! não é aquele que você está pensando.

Pensamentos da Engenharia

Imóvel, alternativa de aposentadoria

Honorários de engenharia : Como é difícil receber !!!

A.R.T. - Acervo e defesa do profissional

Orientação de um velho Engenheiro de Barbas Brancas a um jovem engenheirando sobre um estágio de férias

Aspectos matemáticos e humanos da corrente da felicidade

Invista no Arquiteto!

São Paulo, um gigantesco campo de trabalho para a Arquitetura

Como fazer a retificação de área no Registro de Imóveis

Espanhol cresce como ferramenta de trabalho!

Perguntas mais comuns em uma entrevista de emprego(3/3)

Procedimentos em uma entrevista de emprego (2/3)

Preparando-se para uma entrevista de emprego (1/3)