Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

por Arqsº Fernando Forte e Rodrigo Marcondes Ferraz

Quantas camadas de reboco devem ser aplicadas nas paredes?



São três, chamadas chapisco, emboço e reboco, e formam um conjunto de revestimentos de superfícies conhecidos na arquitetura e engenharia como "revestimentos verticais". São aplicados nas paredes de sua casa e até em fachadas de edifícios.

Os revestimentos verticais são os materiais que revestem as alvenarias (as paredes) e que antecedem a pintura ou outros revestimentos, como os azulejos, por exemplo. Independente de a parede ser construída com tijolinho, tijolo cerâmico vazado, bloco de concreto e outros, geralmente ela recebe essas três camadas de tratamento que dão a aparência final usualmente encontrada nas construções.


Mal aplicadas ou elaboradas com a fórmula errada, as camadas de revestimento que cobrem a alvenaria antes do acabamento final podem causar fissuras e até se soltar em placas




As argamassas que constituem esses revestimentos têm suas fórmulas pré-definidas, de forma similar a uma receita de culinária. Essas receitas são conhecidas como "traço" e trazem a proporção entre a areia, cimento, cal e algum outro material que compõem os produtos.

Embora simples, os traços são muito importantes em uma obra, pois se não são realizados corretamente, os acabamentos (pintura, cerâmica, pedras, etc.) podem mais tarde apresentar fissuras ou até se descolar das paredes. Para verificar quais os traços corretos dos revestimentos, assim como espessuras adequadas de cada camada, cheque a norma brasileira que rege os revestimentos verticais, chamada NBR 7200.

Para entendermos melhor o que são essas camadas, vamos dividi-las conforme a ordem de aplicação em uma parede.

Chapisco

Uma vez construída a parede, de preferência a mais alinhada e aprumada possível, o pedreiro passa a executar uma camada sobre ela conhecida como "chapisco". Essa camada tem a função de fazer a ancoragem dos revestimentos na parede. Isso quer dizer que ela é aplicada de forma a garantir que as outras camadas não se descolem da parede mais tarde e caiam em placas, como é comum vermos em edificações antigas.

O chapisco deve ser executado com cimento e areia média ou grossa, e a superfície de aplicação tem que estar umedecida de antemão. Para aplicá-lo, o operário deve usar a colher de pedreiro e arremessar a massa com golpes rápidos e precisos, cobrindo uniformemente a superfície em uma só camada. O resultado final deve ser bastante áspero para ancorar o próximo revestimento. O chapisco deve ter cerca de 5 mm de espessura, embora seja comum encontrá-lo mais grosso, o que está em desacordo com as normas.

Emboço

Uma vez realizado o chapisco, deve-se aguardar 24 horas para a cura do cimento para então começar a aplicação da nova camada, o emboço. O emboço também é conhecido como "massa grossa" em muitas regiões do país. O emboço é constituído por uma mistura de elementos similares ao chapisco, mas com proporções diferentes e a adição de cal (ou, mais raramente, outros tipos de aditivos). De aparência mais pastosa do que o chapisco, ele é geralmente aplicado sobre este com desempenadeira de madeira. A aparência final já é bem mais lisa.

Reboco

A última camada, o reboco, é também conhecida em certos locais do Brasil como "massa fina". Essa camada é a que antecede a pintura, que pode receber massa corrida ou não (a aplicação da massa corrida faz parte do trabalho do pintor). Mais uma vez, a fórmula do reboco muda ligeiramente em relação à das outras camadas, e também é regida pela NBR 7200.

O reboco deve ser executado com especial atenção nos requadramentos de cantos, quinas e vigas, pois não dá para corrigir defeitos de alinhamento com a massa corrida e você terá de conviver com um mau acabamento.

Desperdício de material e custo

Infelizmente é bastante comum encontrarmos construções em que uma execução inadequada das estruturas ou paredes (pouco alinhamento e erro de prumo) acaba sendo corrigida pelo uso excessivo das argamassas de revestimento.

O encarregado pensa "tudo bem ficar torto, eu vou ter de rebocar tudo mesmo, e tanto faz se o revestimento vai ficar com dois ou 12 centímetros!" Isso não é verdade e você não deve admitir esse tipo de comportamento em sua obra. O gasto de material é muito maior e o custo também; é uma prática insustentável e totalmente contra as normas. Ou seja, muito provavelmente vão aparecer fissuras em sua obra mais tarde. Fique de olho!




Fernando Forte e Rodrigo Marcondes Ferraz são arquitetos formados pela FAU-USP e sócios do escritório Forte Gimenes Marcondes Ferraz (www.fgmf.com.br)




Fonte:www.mulher.uol.com.br




Visite nossa página no facebook -www.facebook.com/forumconstrucao - Curta, Divulgue

Comentários

Mais artigos

O vidro na construção civil

Qual a fechadura ideal para sua porta?

As vantagens e desvantagens do concreto protendido

Dicas para o lar: WD-40, o produto que faz milagres...

Laje de Concreto : Como se faz a cura do concreto?

Concreto armado é solução durável e econômica

Reboco para que serve? Como fazer o reboco na parede ?

Diferença entre concreto e cimento

A história do cimento

Manutenção do imóvel: Caixas de inspeção, caixas de passagem e caixas de gordura

Gesso ou reboco comum, o que é melhor para paredes?

Como limpar piscina: cuidado, tratamento e limpeza

Tijolo de isopor: um benefício para a sustentabilidade na construção civil

Monte sua própria caixa de ferramentas

Rejunte nas peças cerâmicas

Agregados para Construção Civil

Como conservar o concreto aparente

Dicas Para Comprar Material de Construção

Areia na construção

Tipos de vigas de madeira

Saiba escolher o melhor tipo de tijolo para sua construção

Pavimento permeável

Dicas de construção - Azulejos

Reciclagem de lixo eletrônico

Fissuração do Concreto devido às Tensões de Origem Térmica: Como evitá-la?

Cupim, como identificar.

Quantas camadas de reboco devem ser aplicadas nas paredes?

O que é madeira certificada? Saiba os critérios para obter o selo.

Madeira de plástico, quais suas vantagens?

Restauração valoriza e amplia o tempo de uso da madeira

Poço artesiano, o que é?

Como comprar cimento

Reciclagem de papel. A importância do papel reciclado

A reciclagem de vidros.

Construção de madeira requer conhecimentos técnicos

Portas e janelas de alumínio, como conservar.

Avaliação do desempenho da madeira na construção

A madeira de eucalipto na construção civil.

Cimento ecológico, uma alternativa ecológica na construção civil

Papelão é alternativa rápida e limpa na construção civil

Criado um vidro mais forte do que o aço

Reciclar entulho

Cuidado com o desperdício de materiais em sua obra.

O que usar, tijolo ou bloco?

Reboco. Que Areia Usar?

Madeira laminada e concreto produzem vigas mais resistentes

Concreto flexível é capaz de se autoconsertar sem intervenção humana

Água como Material de Construção

Sobre uma certa Tabela de Traços de Concreto

Cal hidratada nas argamassas

Concreto Usinado - Dicas para a Compra

Areia para construção civil: como comprar e como usar

Pedra (agregado graúdo) para Construção -- escolhendo e usando

Otimizando o uso de brita no concreto: o Teste da Lata

Melhorando a qualidade do concreto feito em obra